Síndrome Metabólica

SÍNDROME METABÓLICA

Saúde X Obesidade

Caracterizada pela associação de fatores como intolerância à glicose, hipertensão arterial, dislipidemias,  obesidade, em particular a do tipo abdominal, que dá ao corpo o formato semelhante ao de uma maçã. Está relacionada a um aumento dramático de ocorrências de eventos cardiovasculares (infartos, derrames e tromboses), aumenta o risco de Diabetes Tipo 2 e, portanto, aumenta o risco de morte. É doença  mais grave que a obesidade isolada.

Critérios para  diagnóstico da Síndrome Metabólica

1) Glicose ≥ 100 mg/dL ou em tratamento para hiperglicemia

2) Obesidade – Cintura ≥ 102 cm para homens ou ≥ 88 cm para mulheres

3) HDL – Colesterol aHomens: < 40 mg/dL ou em tratamento para HDL baixo aMulheres: < 50 mg/dL ou em tratamento para HDL baixo

4) Triglicérides ≥ 150 mg/dL ou em tratamento para triglicérides elevados

5) Hipertensão arterial ≥ 130 x 85 mmHg ou em tratamento medicamentoso

Cirurgia de Obesidade ou Cirurgia Metabólica

Quem precisa mais da cirurgia?
Paciente com 150 Kg saudável ou com 100 Kg mais Hipertensão, Colesterol, Triglicérides, Diabetes 2?

A resposta certa é o segundo caso.

Hoje mais que a obesidade o que importa é tratar as doenças metabólicas, estas causam deteriorização progressiva do organismo e estimulam um estado inflamatório crônico que reduz a expectativa de vida.

Estamos operando pacientes com IMC cada vez menor, pois o peso não é mais um parâmetro isolado.

Ganha importância a Síndrome Metabólica

Estes itens e doenças como APNÉIA DO SONO, PATOLOGIAS ORTOPÉDICAS, DOENÇA DO REFLUXO GRAVE, AUMENTO DA INSULINA, AUMENTO DA FERRITINA, entre outras, principalmente quando associadas, passam a ter importância igual ou maior que o IMC, e indicam a cirurgia.

1
Olá como podemos ajudar?
Powered by